O guerreiro – sem querer – dá um passo em falso e  mergulha no abismo. Os fantasmas se aproximam e o assustam, a solidão o atormenta. Como tem fé, e sempre procurou seguir o caminho do Bom Combate, não pensava que isto fosse acontecer com ele.
Mas aconteceu. Os desígnios da Providência Divina são insondáveis. Envolto pela escuridão, ele se comunica com seu mestre.
“Mestre, caí no abismo”, diz ele. “As águas são fundas e escuras; será que morrerei afogado?”
“Lembre-se de uma coisa”, ele escuta o mestre dizer. “O que afoga alguém não é o mergulho, mas o fato de permanecer debaixo d’água”.
E o guerreiro,  a partir deste momento, usa as suas forças para sair do abismo.
Paulo Coelho
Anúncios