“Olho em redor do bar em que escrevo estas linhas.
Aquele homem ali no balcão, caninha após caninha,
nem desconfia que se acha conosco desde o início
das eras.Pensa que está somente afogando problemas dele, João Silva…

Ele está é bebendo a milenar
inquietação do mundo!”