Número 9 – O Deus dos Deuses

Nesse momento os outros Deuses aproximaram-se do Deus dos Deuses para ouvir o seu relato.
Conta ele:
Para tornar-me o Deus dos Deuses, tive que amparar a todos vocês.
Tive que ajudar cada um a conquistar seu posto dévico.
Tive sob minha assistência e orientação oito pretendentes a divindades.
Teria que orientá-los.
Ser bondoso e solícito.
Generoso com seus erros.
Paciente com suas descobertas.
No desenvolver dessa tarefa, deixei-me de lado.
Fui absorvido pelo amparo a todos vocês.
E com o passar dos tempos, vocês tornaram-se Deuses.
Cada qual em seu momento, rumou em direção ao infinito, para desenvolver suas tarefas.
Quando a última divindade partiu, a da justiça, fiquei sozinho.
Foi então que descobri, que com o tempo de dedicação à vocês, esqueci de mim.
Na solidão de vossas ausências, senti a importância de dedicar-me a mim mesmo.
Por isso, afasto-me de vocês e nos reencontramos apenas a cada dois mil anos.
E agora, nesse nosso encontro posso afirmar-lhes:
Descobri que para amparar nosso semelhante, temos antes de nos amparar.
E assim tornei-me o Deus dos Deuses, desde que ajudei a mim, reuni condições de continuar a ajudar vocês.
Atendo pelo nome de DUVERNNA ou VARDENUN .
E sou uma Deusa.
A Deusa dos Deuses.
Não vivo no Planeta Terra e nem no universo.
Pertenço a eles.
Nesse instante terminou o encontro dos Deuses.
Todos juntos embarcaram rumo ao Planeta Terra.
Aqui chegando, os fogos de artifícios anunciavam a entrada do ano 2000.

EXPLICA A DEUSA DOS DEUSES

As divindades atendem por dois nomes.
Quando chamares pelo primeiro nome seremos teu anjo protetor.
Quando evocares o segundo nome, seremos o guerreiro que a teu lado, ajudará a cumprires tua proposta evolutiva.
E assim, o povo antigo da Grécia, no sexto dia do nono mês celebravam o culto às divindades.
No nono mês, por serem 9 divindades.
E no sexto dia, por ser o 6 o número do amor.
Em todos os anos, nesse dia, a festa durava 24 horas. Do raiar do sol ao poente da lua.
Festejavam através da música, da dança e do alimento.
E ali, depositavam seus pedidos e esperanças.
Acreditando que estavam em contato direto com sua divindade
O notável, é que segundo o povo antigo da Grécia, nessa celebração , as divindades penetravam em cada ser. Gerando em suas vidas os aspectos delas.

Mito dos Números – By http://www.annamarya.com.br/num_mito_num1.php