“A menina tinha sede,
trouxe o cântaro vazio.
Não foi água o que ela quis:
foi o rio.