“Somos ultrapassados por nossa pressa.
Só percebemos o amor a tempo de lembrá-lo,
só descobrimos que era a última chance depois de perdê-la,
só aprendemos depois que os erros foram cometidos,
que as oportunidades passaram, que os anos foram estampando nosso rosto.
Beijaríamos mais doce se soubéssemos que aquele seria o último beijo,
gravaríamos a expressão do riso, o som do riso, a leveza do riso, o porque do riso.
Amaríamos mais quem nos importa do que nosso egoísmo.
Amaríamos mais e apenas isto nos salvaria de uma vida comum.”
Cáh Morandi