Dormes,
Bela.
Eu não, eu velo
Enquanto voas ou velejas
E inocente exerces teu império.
Amor: o que é que tu desejas?
Pois sou a noite, somos
Eu poeta, tu proeza
E de repente exclamo:
Tanto mistério é,
Tanta beleza.

Anúncios