“Ah, quem escreverá a história que poderia ter sido?
Será essa, se alguém a escrever,
A verdadeira história da humanidade.
O que há é só o mundo verdadeiro, não é nós, só o mundo;
O que não há somos nós e a verdade está aí (…)
Que é daquela nossa verdade – o sonho à janela da infância?
Que é daquela nossa certeza – o propósito a mesa de depois? (…)
Que é de minha realidade, que só tenho a vida?
Que é de mim, que sou só quem existo?.”

Fernando Pessoa