Tem muita gente que se distrai e é feliz pra sempre, sem conhecer as delícias de ser feliz por uns meses, depois infeliz por uns dias…
Viver não é seguro. Viver não é fácil. E não pode ser monótono.
Mesmo fazendo escolhas aparentemente definitivas, ainda assim podemos excursionar por dentro de nós mesmos e descobrir lugares desabitados em que nunca colocamos os pés, nem mesmo em imaginação. E, estando lá, rever nossas escolhas e recalcular a duração de “pra sempre”. 
Muitas vezes o “pra sempre” não dura tanto quanto duram nossa teimosia e receio de mudar.
Martha Medeiros