Dias maravilhosos em que os jornais vêm cheios de poesia… e do lábio do amigo brotam palavras e eterno encanto…
Dias mágicos… em que os burgueses espiam, através das vidraças dos escritórios, a graça gratuita das nuvens…