Posts tagged ‘Fé’

Qualquer quarto de lua já é lua inteira no meu coração.

Mas se tudo muda,
eu nem ligo.
Sou bem capaz de
MUDAR também!   

Basta amar para escolher bem, o diabo que fosse era sempre boa escolha.

O intelecto é importante no mundo tridimensional, mas a intuição é mais importante.
Tudo é amor. Tudo é amor. Tudo é amor. Com o amor vem a compreensão e, com ela, a paciência. E então o tempo pára. E tudo é agora.
A realidade é o presente. Remoer o passado ou o futuro causa dor e doença. A paciência faz parar o tempo. O amor de Deus é tudo.
O amor é a resposta suprema. O amor não é abstração, e sim energia verdadeira, ou uma gama de energias que você pode “criar” e manter em seu ser. Simplesmente aja com amor. Você começará a tocar Deus dentro de si mesmo. Sinta-se amoroso. Dê expressão ao seu amor.
 
O amor dissolve o medo. Não se pode ter medo quando se sente amor. Uma vez que tudo é energia e o amor abrange todas as energias, tudo é amor. Este é um forte indício da natureza de Deus.
 
A pessoa que tem amor e é isenta de medos, é capaz de perdoar. É capaz de perdoar aos outros e a si mesma. Passa a se ver na perspectiva correta. Culpa e rancor são reflexos do mesmo medo. O sentimento de culpa é um rancor mais sutil dirigido pra dentro. O perdão dissolve a culpa e o rancor, que são emoções desnecessárias e danosas. Perdoe. Perdoar é um ato de amor.
 
O orgulho pode ser um dos empecilhos para o perdão. O orgulho é uma das manifestações do ego. O ego é uma personalidade transitória e falsa. Você não é seu corpo, não é seu intelecto. Não é o seu ego. É maior do que tudo isso. Você precisa do ego para sobreviver no mundo tridimensional, mas precisa somente daquela parte do ego que processa informações. O resto – orgulho, arrogância, defensividade, medo – tudo o mais é inútil. O resto do ego nos separa da sabedoria, da alegria e de Deus. Você deve transcender o seu ego e descobrir o seu verdadeiro ser. O verdadeiro ser é a parte permanente, a parte mais profunda de você. É sábia, amorosa, segura e cheia de alegria.
 
O ego cria ilusão e encobre a verdade. é preciso dissolver o ego para poder ver a verdade.
 
Meça o tempo, se tem de medi-lo, em termos de lições aprendidas, não em minutos, horas ou anos. Você pode curar-se em cinco minutos se chegar ao conhecimento adequado. Ou em cinquenta anos. É tudo a mesma coisa.
 
O passado deve ser lembrado e, depois esquecido. Deixe que o passado se vá. Isso se aplica a traumas de infância e a traumas de vidas passadas. Mas também se aplica a atitudes, falsas noções, sistemas de crenças que nos são impostos, a todos os velhos pensamentos. Na verdade, a todos os pensamentos. Como é possivel ter uma visão clara e nova com todos esses pensamentos? E se tivéssemos de aprender algo novo a partir de uma nova perspectiva?
 
Você tem um relacionamento consigo mesmo, bem como com outras pessoas. E já viveu em muitos corpos e em muitas épocas. Portanto, pergunte-se por que isso é tão assustador. Porque receia assumir riscos razoáveis? Receia por sua reputação, tem medo do que os outros possam pensar? Esses medos lhe foram infundidos na infância ou mesmo antes.
 
Saia da rotina. Lembre-se de ter esperança.
 
Ficar ansioso é perder-se no ego. É perder de vista as nossas fronteiras. Há uma vaga lembrança de perda de amor, de orgulho ferido, de perda de paciência e de paz. Lembre-se: você nunca está sozinho.
 
Nunca perca a coragem de assumir riscos. Você é imortal, ninguém pode feri-lo.

Só você é responsável pelo caminho que lhe foi confiado.

“Cuide do caminho, antes de cuidar do que está a sua volta: atenção e concentração são fundamentais. Não se deixe distrair pelas folhas secas que estão nas margens, ou pela maneira como os outros estão cuidando dos seus caminhos.

Use sua energia para cuidar e conservar o chão que acolhe seus passos.

Tenha paciência. Às vezes, é preciso repetir as mesmas tarefas, como arrancar ervas daninhas ou fechar buracos que surgiram depois de uma chuva inesperada. Não se aborreça com isso, faz parte da viagem. Mesmo cansado, mesmo com certas tarefas repetitivas, tenha paciência.

Os caminhos se cruzam: as pessoas podem dizer como está o tempo. Escute os conselhos, tome suas próprias decisões. Só você é responsável pelo caminho que lhe foi confiado.”

Rezar muito. E ter fé. Porque as coisas estão todas amarradinhas em Deus.

“E é assim que hoje, ouvindo samba, decidi começar a caminhar de novo… Mesmo com os pés doendo. Com a certeza de que em pouco tempo vou encontrar um lugar pra me sentar, tirar os sapatos e apreciar a estrada. Para depois dar mais alguns passos descalça, descobrir caminhos que nem estavam no mapa, e voltar ao prazer da viagem.
Lá na frente, quem sabe eu mesma faça um sambinha, cantando em humor as vezes que errei o caminho – e de como foi bom aprender.”

Daqui, ligando pontos, encaixando peças, eu me surpreendo: não tive muita coisa que eu queria, mas tive tudo de que eu precisava.

Não sei muita coisa sobre mim e já nem faço tanta questão assim de saber. O que realmente quero é criar espaço para viver a percepção nítida e inédita da beleza disponível de cada instante. Isso, sim, até onde eu pouco sei, é presente. E, quando estou alinhada com o tempo do meu coração, eu sei que é apenas isso, e tudo isso, o que há para ser desembrulhado.
Para ser plenamente vivido. Nada mais.

Ser Índigo

A Criança Índigo

O índigo como criança é ativa, energética e imaginativa. Elas podem se entreter a si próprias e brincar por horas nos seus próprios mundos. Elas frequentemente têm amigos imaginários, e elas adoram fadas e golfinhos.

A inteligência excepcional das Indigos pode ser exasperante para os adultos. Ninguém lhes “dirá o que fazer”, mas quererão debater e negociar cada instrução. Até que os pais aprendam que estão a ser ensinados a respeitar o direito de escolha da criança, e honrar essa escolha, eles continuarão a ser confrontados a cada esquina com lutas de poder e batalhas de força de vontade.

A maneira correcta de lidar com um Indigo é de estar disposto(a) a negociar, explicar e dar-lhes escolhas. Instruções c omo “faz como te é mandado” só produzirão hostilidade e indeferença.

As Indigos geralmente desgostam da escola intensivamente. Elas ficam entediadas pelo paço vagaroso (para elas) e pelas tarefas repetitivas consideradas adequadas para as crianças pelos professores que não percebem a inteligência delas.

Elas lutam com autoridade e pressão de colegas, que podem ser bastante opressivos para uma alma jovem Indigo com pouca compreensão real do “poder sobre os outros”, do domínio e estados de submissão comuns à sociedade da Terra.

Problemas que ocorrem na escola incluem TDA e TDAH, um resultado do tédio e irritação. Deficiências de educação tais como dislexia frequentemente também reflectem as maneiras alternativas de ser e pensar das Indigos.

 

O Adolescente Índigo

Tal como a maior parte dos adolescentes, a Indigo vai atingir o estado da transição da puberdade e vai-se tornar melancólico e querer privacidade à medida que o corpo muda. No entanto, por esta altura, os jovens Indigos frequentemente começam a ver através do materialismo intenso os dramas de vitima que formam a base da maior parte das vidas adultas no mundo moderno.

Por esta altura, elas frequentemente “desligam-se” destes estilos de vida e optam por alternativas que elas consideram como mais importantes, mais divertidas ou simplesmente mais desafiadoras para adultos.

Infelizmente, muitas destas incluem a cultura da droga e várias festas de transe que incluem estados quimicamente induzidos de alegria que duram pouco e são viciantes.

Nesta altura, o adolescente está a expressar a sua fúria e rejeição a um sistema que não oferece nada de valor a uma alma Indigo. Os pais podem levar as suas crianças a programas de reabilitação, mas eles têm de se perguntar porque é que Seres tão inteligentes e criativos frequentemente parecem se querer auto-destruir.

Outra forma do comportamento adolescente de auto-destruição é quando a criança toma os valores dos pais e procura exceder as expectativas. Isto pode ser assustador, porque os Indigos são por natureza excepcionalmente dotados e talentosos. Estes Indigos frequentemente desenvolvem habilidades académicas e técnicas formidáveis para obter reconhecimento e sucesso, mas por outro lado sacrificam o desenvolvimento emocional que pode ser bastante prejudicial mais tarde na vida quando eles procuram criar relações significativas.

 

O Jovem Adulto Índigo

Nos seus vinte anos ou trinta iniciais, os adultos Indigos geralmente alinham em um ou dois grupos:

O primeiro grupo segue o caminho de “jovem executivo de sucesso” e criam abundância, geralmente numa carreira em Informática ou em Artes. Eles procuram relações estáveis e em ter crianças e criar familias. Porém lutam com as exigências e normas dos sistemas de casamento, familia e emprego. As suas almas Indigo esforçam-se por expressar a sua essência e permanecer verdadeiros a quem eles são enquanto ao mesmo tempo alcançam “sucesso” como prescrevido pela nossa cultura.

O segundo grupo opta por “desaparecer”, e frequentemente os indivíduos viajam extensivamente, tornando-se um “cidadão global” e têm dificuldade em estabelecer-se em qualquer lugar. Estas pessoas frequentemente não têm um emprego ou carreira fixa, e vivem um estilo de vida alternativo que inclui drogas. Enquanto elas frequentemente declaram que estão felizes, elas também ficam frustradas na sua incapacidade de serem economicamente capazes de procurar actividades “normais” de criar uma família e contribuir para a comunidade.

Os dois grupos estão a tentar redefenir o que significa ser um adulto no mundo contemporâneo, e de encontrar meios de viver a sua verdade enquanto continuam ao mesmo tempo a encontrar felicidade e estabilidade como adultos. Eles são a geração que está a definir novas escolhas e opções para a vida adulta na Nova Terra.

Célia Fenn

http://starchildglobal.com/portuguesa/

 

 

Fé na vida. Fé no Homem. Fé no que virá.

 “Ontem um menino que brincava me falou
Hoje é a semente do amanhã
Para não ter medo que este tempo vai passar
Não se desespere, nem pare de sonhar
Nunca se entregue, nasça sempre com as manhãs
Deixe a luz do sol brilhar no céu do seu olhar
Fé na vida, fé no homem, fé no que virá
Nós podemos tudo, nós podemos mais
Vamos lá FAZER o que será.”
 
Gonzaguinha
%d blogueiros gostam disto: